• Victor Cerqueira

P.M.O.C: O regulador da qualidade do ar.

Descubra a importância do Plano de Manutenção e controle e como ele pode melhorar a qualidade do ar nos ambientes.



Imagem de ElasticComputeFarm por Pixabay


Vivemos em um mundo acelerado, onde a maioria das pessoas estão inseridas em ambientes profissionais. Apesar da euforia generalizada, a engrenagem global obriga boa parte da população a se manter concentrada em estabelecimentos fechados durante 85% do dia.


Quando percebemos que passamos tanto tempo em ambientes fechados, sem dúvida a “qualidade do ar nos ambientes” é o último fator que a maioria das pessoas se preocupam. Porém, o ar que respiramos exige cuidados. Nesse artigo você vai entender o que é o Plano de Manutenção, Operação e Controle (P.M.O.C), como surgiu, quais são seus impactos atuais e como sua implementação é capaz de melhorar a qualidade do ar em qualquer ambiente.


Como surgiu o P.M.O.C?


O fato mais marcante da história envolvendo a qualidade do ar, foi o episódio ocorrido em julho de 1976, quando quatro mil veteranos de guerra, conhecidos como legionários, se reuniram para um congresso no hotel Bellevue (Filadélfia – EUA). Logo no segundo dia do evento, alguns participantes sentiram febre, em seguida a situação só piorou. Em 10 dias, mais de 200 participantes estavam com a saúde debilitada e 34 tinham morrido.


O governo americano decidiu iniciar uma investigação para apurar as causas da tragédia e descobriram que se tratava de uma contaminação humana por uma bactéria que se prolifera em ambientes específicos com altíssima umidade e sujeira. Percebeu-se que a bactéria crescia nas redondezas das torres de resfriamento, que compunham o sistema de climatização do hotel, sendo transportadas através de trocas naturais do ar. A nova bactéria foi denominada Legionella devido ao incidente com os Legionários que levou a sua descoberta.


Logo após o ocorrido na Filadélfia, a questão da qualidade do ar e a importância dos sistemas de climatização no dia a dia das pessoas ganhou força mundial, porém, só em 1998, depois da morte do ex-Ministro das Comunicações Sergio Mota pela contaminação de legionella, começou-se as discussões sobre o assunto. Neste mesmo ano, foi publicada a PORTARIA 3.523/98 que estabelece o Plano de Manutenção Operação e Controle. Atualmente, todo estabelecimento de uso público ou coletivo precisa cumprir a Lei 13.589/18 que tornou o P.M.O.C um pré-requisito obrigatório para o bom funcionamento dos estabelecimentos.


O que é o Plano de Manutenção, Operação e Controle?


Com certeza você já entrou em um shopping e percebeu que a temperatura e umidade do ar estavam diferentes em relação ao presente no ambiente externo. O mesmo acontece (ou deveria acontecer) com supermercados, comércios, igrejas, escolas, ou seja, todo estabelecimento público ou coletivo.


Este fenômeno acontece em razão do sistema de climatização presente no local que controla as propriedades regulamentadas do ar, que são constituídas por temperatura, umidade relativa, velocidade e grau de pureza. Porém, para o bom funcionamento do sistema, são necessárias manutenções periódicas preventivas que seguem as orientações e normas estabelecidas pela Agência Brasileira de Vigilância Sanitária (ANVISA).


Diante disso, podemos definir Plano de Manutenção e Controle (P.M.O.C) como um laudo que visa planejar as manutenções de acordo com cada tipo de sistema de climatização e suas periodicidades, respeitando o cronograma de cada proprietário dos estabelecimentos.


Benefícios do P.M.O.C


Podemos perceber alguns benefícios em virtude da implementação do P.M.O.C., como o baixo risco do ambiente apresentar a SAD (Síndrome do Ambiente Doente) que acontece quando 20% das pessoas, que frequentam o ambiente, reclamam de dores de cabeça, náuseas, alergias e sonolência.


Outra vantagem, graças às manutenções periódicas, é a redução dos defeitos recorrentes nos sistemas de climatização, fazendo com que nada interrompa a troca de calor resultando no conforto térmico contínuo. Este fator colabora diretamente para o aumento da produtividade de todas as pessoas, pois um ambiente climatizado e controlado pelo P.M.O.C inibe os fatores que influenciam na disposição e concentração ao realizar tarefas.


Todas essas vantagens têm um elemento em comum: a qualidade do ar controlada por meio do planejamento das manutenções no sistema de climatização.


Impacto da COVID-19 no P.M.O.C.


Tudo mudou desde o início da pandemia do COVID-19 e com o P.M.O.C não poderia ser diferente. Um estudo publicado pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças de Guangzhou, na China, levantou a hipótese de que os sistemas de climatização, que não possuem limpezas periódicas, estavam contribuindo para a proliferação do Coronavírus. Desde então a fiscalização feita pela (ANVISA), respeitando a Lei 13.589/18, se intensificou de maneira exponencial.


O estudo colaborou, também, para o aumento do valor da multa que atualmente varia de dois mil a um milhão de reais. A multa é aplicada para proprietários de estabelecimentos que não apresentarem o laudo no prazo exigido pela ANVISA logo após a fiscalização.


Portanto, se você é responsável por algum local de uso público ou coletivo, a Jovens Projetistas orienta fortemente, caso não tenha feito, adquirir já seu P.M.O.C.


40 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo